A Felicidade na Costa Rica

Foto: Jorge Rosales/Unsplah

Com paisagem montanhosa, densa floresta tropical e praias extensas, tanto do lado do Atlântico quanto do lado do Pacífico, a Costa Rica é um país que surpreende quando o assunto é Felicidade. Conforme a edição 2021 do World Happiness Report (WHR), ela é o primeiro país da América Latina no ranking que considera os anos 2018 a 2020 e ocupa a 16ª posição entre os 149 países pesquisados, à frente de economias mais ricas e desenvolvidas como Reino Unido, Estados Unidos ou França. 

Costa Rica e Brasil no ranking. Fonte: World Happiness Report

Na edição anterior do WHR, de 2020, a cidade de San José, capital da Costa Rica, ocupava a 11ª posição no ranking de bem-estar subjetivo (Felicidade, satisfação com a vida e afeto positivo) entre 186 cidades pesquisadas no mundo. De uma forma ampla, pode-se dizer que os habitantes dessa cidade avaliaram suas vidas como muito positivas. San José era a terceira cidade no mundo com a melhor avaliação da expectativa de bem-estar futuro.

Mas a Felicidade na Costa Rica não parece ser uma casualidade, pois o país aparece entre as primeiras posições no ranking WHR desde a edição de 2016. Nesse mesmo período, o Brasil vem perdendo posições sucessivamente.

Investimentos em bem-estar social

Foto: Justin Scocchio/Unsplash

Para quem acredita que dinheiro é igual à Felicidade, a Costa Rica é um paradoxo. Apesar de seu nome, essa pequena nação da América Central, com 5 milhões de habitantes, não é rica. A sua renda per capita é apenas 1/5 daquela dos EUA, ainda que seja superior à do Brasil. No entanto, a Costa Rica investe, em educação, uma proporção maior de seu PIB do que muitos outros países: 7%! Mais do que os 5% investidos pelos EUA ou do que a média dos países da América Latina (4,5%). 

O investimento do governo costarriquenho em saúde, educação e habitação a preços acessíveis responde muito por esse bem-estar. O país tem recursos disponíveis para realizar esses investimentos graças a uma decisão radical tomada em 1948, que aboliu seu exército, redirecionando os recursos do orçamento para os serviços públicos. Isso criou possibilidades de realocação de fundos para garantir o acesso universal à saúde e ao ensino fundamental e médio.

Desenvolvimento e proteção ambiental 

Com alguma semelhança com os países nórdicos (veja os artigos A Felicidade na Dinamarca e A Felicidade na Finlândia), o governo da Costa Rica disponibiliza diversos serviços que garantem a satisfação das necessidades básicas da maioria da população, independentemente de sua renda, mostrando que o estado de bem-estar social é possível mesmo em níveis de renda mais baixos. 

Foto: Filip Mroz/Unsplash

O país também é líder mundial em proteção ambiental. O governo da Costa Rica usa os impostos cobrados na venda de combustíveis fósseis para pagar pela proteção das florestas. Além disso, produz 99% de sua energia elétrica a partir de fontes renováveis e provavelmente será o primeiro país do mundo a ter uma matriz energética totalmente renovável e neutra em carbono. 

Outra conquista da Costa Rica é seu desempenho no Happy Planet Index (HPI), que mede o quão bem as nações estão tendo uma vida longa, feliz e sustentável, com base em quatro elementos: a expectativa de vida, o bem-estar (satisfação com a vida), a desigualdade social e a pegada ecológica (impacto médio que cada residente de um país causa no meio ambiente, expressa pela unidade de hectares globais por pessoa). De forma consistente, o país apresenta a pontuação mais alta no HPI entre os 140 países avaliados, bem acima do desempenho do Brasil. 

Ranking HPI (140 países)Expectativa de vidaBem-estar socialDesigualdade socialPegada ecológica
Costa Rica30º10º39º75º
Brasil23º67º23º73º81º

Economia do bem-estar

A Costa Rica certamente não é perfeita, já que ainda apresenta níveis relativamente elevados de pobreza e de desigualdade de renda, mas o país mostra o que pode ser alcançado quando uma economia é criada em torno da ideia de melhorar a vida das pessoas. O bem-estar é tão ou mais importante que um crescimento sem fim. Ainda que o PIB seja uma medida ampla e convencional de sucesso de um país, certamente ele não é a única métrica que conta. 

Em meio ao desafio monumental para se recuperar dos impactos decorrentes da pandemia do Coronavírus, o mundo precisa dedicar mais atenção ao bem-estar e à Felicidade em cada nação. O exemplo da Costa Rica, mesmo que imperfeito, é uma chance de repensar para quem são as economias e como reconstruí-las para proporcionar vidas significativas às pessoas.

Acompanhe nossos artigos no blog e nossos posts diários no Instagram.