A Felicidade na Holanda

Foto: Catalina Fedorova/Unsplash

Terra dos moinhos, das tulipas, das bicicletas, dos Klompen (famoso tamanquinho de madeira), de Rembrandt, Van Gogh e Vermeer, da batata frita com maionese, do queijo Gouda, da Heineken, da “laranja mecânica” e de Johann Cruyff. Terra também da Felicidade e das crianças mais felizes entre as economias mais avançadas do mundo.

A Holanda, segundo o World Happiness Report 2021, é o 5º país mais feliz do mundo. Ela pontua bem em termos de estruturas sociais, generosidade e PIB per capita, além de identificar baixos níveis de percepção de corrupção. Essas pontuações resultam em um alto nível de confiança e benevolência, ambos contribuintes importantes para a sensação de bem-estar.

Mesmo com a pandemia, a Holanda não apenas se manteve entre os 10 países mais felizes, como subiu uma posição em relação ao ano anterior. O relatório divulgado pelas Nações Unidas avaliou 149 países e leva em consideração os três últimos anos (2018-2020).

Ainda, segundo pesquisa realizada pelo Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a Holanda ocupa a primeira posição dentre 41 países em termos de bem-estar das crianças. O documento  Innocenti Report Card 16 foi publicado em 2020. 

Qual será o segredo dos holandeses? Vamos tentar descobrir a seguir.

Valores fundamentais

De acordo com o governo holandês, quatro valores fundamentais guiam a vida no país: 

1. Liberdade de ter (ou não) a fé que quiser, falar o que pensa, viver da forma que bem entender, fundar ou integrar qualquer associação, fazer as escolhas que desejar. Claro, sem ofensas ou incitação à violência.

2. Igualdade para todos, independente do gênero, idade, religião, nacionalidade. Isso vale para tratamento, direitos e deveres. Nenhuma forma de discriminação é aceita.

3. Solidariedade e consideração com o outro. É comum as pessoas se envolverem em trabalho voluntário. Pessoas com renda maior pagam mais impostos e o governo provê escolas, estradas e segurança. Em determinados casos, o governo oferece auxílio para moradia, alimentação e saúde.

4. Trabalho com garantias de, ao menos, um salário mínimo, limite de horas trabalhadas por dia e folgas. O valor varia conforme a idade. Na tabela de 2021, o salário mínimo aceitável para pessoas de 21 anos ou mais, por exemplo, é de quase 1.700 Euros. 

Equilíbrio entre vida pessoal e trabalho

A Holanda é o país com melhor equilíbrio entre vida pessoal e trabalho segundo o último relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD em inglês). O documento de 2020 mostra que o país alcançou a pontuação 9.5 de 10 nesse tópico. O tempo que os holandeses dedicam a atividades de lazer e cuidados pessoais é de 16.1h/dia, ficando atrás apenas da Itália (16.5h) e da França (16.4h). Apenas 0,4% dos trabalhadores holandeses dedicam longas horas em seus empregos. Os únicos países com uma média ainda menor são Rússia (0.1%) e Suíça (0.4%).

Foto: Steven Lasry/Unsplash

Quanto mais as pessoas trabalham, menos tempo têm para lazer, estar com outras pessoas, comer e dormir, por exemplo. E a quantidade e qualidade desse tempo para a vida pessoal são importantes para o bem-estar geral, o que pode trazer benefícios para a saúde física e mental. Na Holanda, mesmo os trabalhadores em tempo integral dedicam a maior parte do seu dia com cuidados pessoais e lazer, em comparação com outros países da OECD.

A carga horária é flexível e menor para mães e pais que queiram ficar meio período em casa com seus filhos ou que desejam ter um dia da semana de folga. Ainda, a divisão de responsabilidades, tanto nos cuidados com as crianças, quanto nas tarefas domésticas, é igualitária entre homens e mulheres. Dessa forma, ninguém fica sobrecarregado ou frustrado. Mesmo assim, as mulheres ainda trabalham quase duas horas a mais em casa.

O OECD Better Life Index mede o bem-estar nos países membros e em países parceiros, com um total de 11 tópicos e 80 indicadores. No quesito satisfação com a vida, os holandeses ficam na 6ª posição, com uma pontuação de 7.4. O primeiro colocado é a Finlândia, que novamente foi declarada o país mais feliz do mundo pelo World Happiness Report 2021.

Bem-estar infantil

Foto: Sander Weeteling/Unsplash

E por falar em crianças, a Holanda é novamente o país número 1 na área de bem-estar infantil de acordo com pesquisa da Unicef. O Innocenti Report Card 16 avalia a saúde mental e física de crianças e adolescentes entre 0 e 18 anos em 41 dos países mais ricos. Ainda, abordou habilidades sociais, níveis de leitura e de matemática e desempenho na escola. Aos 15 anos, o percentual de crianças na Holanda satisfeitas com a vida é de 90%.

Segundo Michele Hutchinson e Rina Mae Acosta, autoras do livro “The Happiest kids in the world – bringing up children the Dutch way”, são muitos os motivos para as crianças holandesas serem as mais felizes do mundo. Elas indicam que a infância na Holanda é permeada de liberdade, brincadeiras e pouco estresse acadêmico. Isso as torna sociáveis, comunicativas, sinceras, pragmáticas, prestativas, pró-ativas, conscientes, confiantes e não demandam atenção constante de adultos. 

Apesar da reputação liberal e de ser um país com certa tolerância a drogas leves, álcool e sexo, os holandeses são conservadores e as crianças são o centro da família. As crianças são ouvidas, passam mais tempo com seus pais e têm refeições em família regularmente. As pessoas entendem que conquista não necessariamente levam à Felicidade, mas a Felicidade pode ajudar a chegar nessas conquistas.

Atlas da Felicidade

A Felicidade também é tema de pesquisas realizadas na própria Holanda. Em 2017, uma pesquisa desenvolvida com apoio do Centro de Estudos de Felicidade, da Universidade de Rotterdam, mediu os níveis de Felicidade das 50 maiores cidades do país. Chamado de Atlas dos Municípios, trouxe as cidades de Ede, Apeldoorn e Gouda no topo do ranking. Quase 89% dos habitantes de Ede se disseram satisfeitos com a vida. Na média geral do país, 87% disseram se sentir felizes.

Fontes de Felicidade

Os holandeses valorizam experiências, contato com a natureza, socialização, amizades, conversas e saídas de bicicleta. Valorizam também privacidade e espaço pessoal. São pessoas de mente aberta e espírito livre. 

Foto: Sabina Fratila/Unsplash

Estar ao ar livre, fazer atividades físicas e praticar esportes faz parte da rotina dos holandeses. Trilhas, caminhadas, passeios de barco, pedaladas. Faça chuva ou faça sol. Não é um dia chuvoso e frio que vai impedir as pessoas de saírem de bicicleta. Esse meio de transporte é usado para se chegar aos mais diversos compromissos, de trabalho a festas. Mais de 80% das pessoas possuem uma ou mais bikes.

É um país muito ativo e grande parte da população pratica algum tipo de exercício ou esporte. São mais de 30 mil clubes e associações esportivas dos quais participam cerca de 5 milhões de pessoas. Falando em esporte, o futebol é outra paixão nacional, junto às bicicletas e skate. Quem não lembra do time laranja eliminando o Brasil na copa de 2014?

Existem ainda outras características marcantes no povo holandês. A Holanda é um país de empreendedores, com crescente cultura de start-ups, de arte, de união. Aliás, esse é um fator que foi fundamental na construção de canais e diques para manter a terra “a prova de água”.

Foto: Anna Biasoli/Unsplash

E essa talentosa engenharia se estende para a parte social. Com um sistema de pilarização, criaram uma ordem social na qual cada religião e convicção política tem direito às suas próprias atividades e instituições. Isso gerou um grande número de jornais, revistas, canais de televisão, estações de rádio, igrejas, partidos, sindicatos, clubes esportivos e muito mais. Atualmente os pilares são menos distintos, mas essa organização deixou a herança da tolerância, algo que faz parte do jeito holandês de ser. 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os valores e estilo de vida na Holanda fica fácil de entender porque o país tem boas posições em diferentes rankings, não é?

Continue acompanhando nossos conteúdos no blog e no Instagram.

Uma resposta para “A Felicidade na Holanda”

Os comentários estão fechados.