Felicidade na Suécia

Foto: Agnieszka Boeske/Unsplash

Um país distante, localizado na Península Escandinava, no alto do globo terrestre, mas que se faz mais presente do que imaginamos. Afinal, as canções do famoso grupo ABBA fizeram e ainda fazem parte da cena musical e do cinema. E quando o assunto é música, não podemos deixar de citar a banda Roxette, que estourou no Brasil nas décadas de 80 e 90. Por outro lado, se o tema é cinema, as musas Ingrid Bergman e Greta Garbo e o diretor Ingmar Bergman ganham destaque.

Na área tecnológica, temos Spotify, Soundcloud e Skype, todas plataformas criadas na Suécia. Ainda, anualmente nos deparamos com o anúncio dos vencedores do Prêmio Nobel para as categorias Química, Física, Medicina e Literatura, entregues em Estocolmo. E tem mais. Nos carros Volvo, nos móveis Ikea e nos aparelhos Electrolux, a Suécia permeia diversas áreas, mas uma delas merece ser olhada com mais atenção por ter muito a ensinar: Felicidade.

Natureza, exercícios, banhos gelados e tradições como Lagom e Fika podem ser alguns dos segredos da Suécia. E é isso que vamos tentar desvendar a seguir.

Rede de apoio e qualidade de vida

Um país nórdico de fiordes, lagos e montanhas, a Suécia está sempre entre as 10 primeiras posições do Relatório Mundial da Felicidade (World Happiness Report – WHR), na companhia dos seus vizinhos Noruega, Finlândia e Dinamarca. Nos últimos três anos, ocupa a 7ª posição.

Foto: Shubhesh Aggarwal/Unsplash

Além disso, é altamente desenvolvido economicamente, apresenta elevado Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e ótimo desempenho em todas as dimensões do OECD Better Life Index, que é uma espécie de índice para uma vida melhor, com um total de 11 tópicos e 80 indicadores.

Há um forte senso de comunidade no país e 91% das pessoas acreditam ter com quem contar em momentos difíceis. Apesar de ser conhecido pelos seus altos impostos, a grande maioria confia no sistema e vê o retorno em serviços públicos amplamente financiados pelo governo e de qualidade, como saúde e educação.

Boa parte dos impostos é destinada a proporcionar equilíbrio entre vida pessoal e profissional da sociedade. Aliás, esse é um aspecto muito importante da vida na Suécia. No ranking da OECD, o país é o 5º nessa categoria. As pessoas que trabalham tempo integral dedicam 15 horas diárias as suas atividades de cuidado pessoal e lazer. E apenas 1% dos trabalhadores faz longas horas extras. Ainda, os trabalhadores têm direito a cinco semanas de férias pagas e 480 dias de licença maternidade e paternidade, sendo que cada pai e mãe tem direito exclusivo a 90 destes dias.

Lagom: Filosofia do Equilíbrio

“Seja moderado para saborear as alegrias da vida em abundância.”
Epicuro

Lagom é um estilo de vida, uma filosofia, uma tradição na Suécia. Na essência, significa algo como “nem muito, nem pouco” ou “na medida certa”. É o equilíbrio, é desacelerar, curtir a natureza, aproveitar os pequenos momentos e as cosias simples.

Foto: Claes Pettersson/Unsplash

O conceito de Lagom é intrínseco ao modo de vida sueco. Pode ser aplicado em diversas partes da vida, como no cuidado com o corpo e a saúde, na alimentação, no trabalho, nas atividades de lazer, no consumo, na natureza, no design, na decoração, na arquitetura e onde mais você desejar.

E você pode aplicar o famoso Lagom com atitudes simples. Por exemplo, não trabalhe a ponto de se sentir sobrecarregado, sem tempo para a família, para os amigos, para viver. Não consuma apenas por consumir. Isso vale tanto para bens materiais quanto para alimentos e recursos naturais. Seja consciente sobre seus gastos, reduza seu impacto ambiental, faça pausas para curtir a natureza e as pessoas que você ama, use seu tempo com sabedoria. Sem extremos, seja em restrições ou exageros. Quando chegamos a esse equilíbrio, podemos aproveitar os prazeres da vida e as coisas que nos trazem Felicidade sem culpa.

Talvez este seja um dos grandes segredos dos suecos para a Felicidade: equilíbrio. Harmonizar todos os aspectos da vida no lugar de uma corrida constante por algo mais que nem sempre temos tempo de aproveitar.

Fika: Pausa pro Café (e pra Felicidade)

A Suécia está entre os maiores consumidores de café no mundo e fazer uma ou mais pausas ao longo do dia para apreciar essa bebida é algo levado muito a sério. É um fenômeno social e faz parte da cultura empresarial, que pode acontecer a qualquer hora do dia, em qualquer lugar.

Foto: Frédéric Dupont/Unsplash

Fika é uma tradição na Suécia e perfeitamente apropriada para a jornada de trabalho. É uma prática comum nas empresas ter esses intervalos regulares ao longo do dia para descansar, mas nada de falar de trabalho. É algo tão intrínseco na cultura sueca, que muitas vezes essas pausas diárias são organizadas e propostas pela própria direção. E, claro, é cortesia da empresa.

Mas não é um simples pausa para o café, é um momento para relaxar, para respirar fundo e apreciar um tempo de qualidade na companhia de colegas de trabalho, de amigos ou da família. Pode ser também um momento só seu, mas geralmente é uma pausa social. Além da companhia de pessoas queridas, Fika não estaria completa sem um doce, como pãezinhos de canela, bolos ou biscoitos.

Café, doces e pessoas queridas. Mais que uma pausa para o café, Fika é uma pausa pra Felicidade!

Vida ao ar livre

A Suécia tem 63% do seu território coberto por florestas. Lagos e rios somam 9% da área total do país. Com 10 milhões de habitantes e 450 mil km², tem invernos rigorosos e poucas horas de sol nas regiões mais ao norte, mas é também palco de aurora-boreal e, no verão, do sol da meia-noite.

Foto: Jana Sabeth/Unsplash

Com tantas belezas naturais, não é de se admirar que os suecos prefiram realizar suas atividades de lazer ao ar livre sempre que possível. E não é o frio ou a chuva que vão impedi-los. São momentos de conexão, consigo e com a natureza, de recarregar as energias, de uma sensação incomparável de liberdade.

Dentre a prática de diversos esportes e exercícios ao ar livre, assim como na Holanda, a Suécia tem um dos maiores números de bicicletas per capita do mundo. Elas são usadas para ir ao trabalho, ao mercado, buscar ou levar os filhos à escola, passear, se exercitar.

Outro hábito que faz parte da cultura sueca é o Morgondopp: mergulho matinal. É uma tradição seguida especialmente nos meses mais quentes, mas alguns a praticam o ano inteiro. Um mergulho em um lago próximo até mesmo antes do café da manhã. E a água é gelada. Se não tiver um algo por perto, vale uma chuveirada de água fria.

Amor pela natureza

Os primeiros parques nacionais da Europa foram criados na Suécia e hoje o país tem 30 parques nacionais e mais de 4 mil reservas naturais. Há até uma lei que garante o acesso de qualquer pessoa a qualquer área natural. É a Allemansrätten, que assegura o direito de caminhar livremente por florestas e campos, colher frutos, nadar e navegar por terras e águas privadas, sem a necessidade de pedir a permissão do proprietário.

Sim, os proprietários de terras podem colocar sinais para excluir visitantes de certas áreas, especialmente as mais vulneráveis ​​a danos. E é preciso manter uma distância razoável de casas, quintais, jardins e áreas cercadas. É claro que esse direito traz consigo a obrigação de respeitar o ambiente natural e a propriedade privada.

Em termos ambientais, a Suécia é o 5º país no ranking da OECD em termos. A quantidade de partículas poluentes no ar é de 6.2 microgramas/m³ e 96% da população se diz satisfeita com a qualidade da água. Já o uso da energia é 54% renovável.


Saber equilibrar as atividades diárias, fazer pausas ao longo do dia, curtir a natureza e cuidar do meio ambiente. Quais desses segredos pra Felicidade você consegue adaptar à sua vida?

Acompanhe nossos conteúdos aqui no blog e pelo Instagram.