Ser feliz nos faz viver mais?

“A qualidade da vida é que é importante, não a longevidade”
Martin Luther King
 

Foto: Vladimir Soares/Unsplash

Vida longa e feliz! É o que todo mundo deseja para si e para os outros. Afinal, quanto mais felizes vivemos, mais vivemos felizes. Será? 

Quem é feliz vive mais tempo? Ou quem vive mais tempo é mais feliz? Qual o efeito de uma vida feliz sobre a longevidade? É o que vamos explorar neste artigo, procurando entender melhor a relação entre estes dois construtos.

Viver para ser feliz

Ser feliz é tudo o que desejamos. Simples assim. Tudo o que fazemos ou deixamos de fazer está envolvido em uma busca. Entretanto, Felicidade não é o resultado dessa busca, mas  uma construção. Não é uma linha de chegada, mas um encontro (ou mesmo um reencontro). Ao longo de uma vida.

Foto: Edu Carvalho/Pexels.com

Quando somos jovens, essa busca parece mais intensa. São muitos planos, muitos sonhos e muita garra para lutar por todos eles. Parece que a Felicidade só é possível na medida em que os sonhos são realizados. E quando realizamos um sonho, outros vão surgindo. E a busca continua. Isso nos mantém motivados, empolgados, focados.

Com o passar do tempo, e da idade, vamos percebendo que a Felicidade está, muitas vezes, bem mais próxima de nós. Realizar sonhos e alcançar objetivos sempre será uma constante em nossas vidas, mas o essencial é entender que a Felicidade não está somente na realização dos nossos sonhos, mas na forma como levamos a vida e como encaramos o que nos acontece.

A Felicidade está nos sonhos conquistados, nos planos a realizar, nas relações afetivas que nos fortalecem e em cada novo dia de nossa vida. Quantas coisas podemos aprimorar no nosso jeito de ser, quantas atitudes podemos tomar para tornar nossa vida mais leve, mais significativa, mais longa e mais feliz! 

Relacionamentos são a base da Felicidade longeva 

Um estudo de Harvard, que já dura mais de 80 anos, vem analisando o que ajuda as pessoas a viver mais e a serem mais felizes. Quando o estudo iniciou, em 1938, com alunos do segundo ano da Universidade, os pesquisadores buscavam respostas sobre quais eram os fatores que ajudariam as pessoas a levar uma vida saudável e feliz. Ao longo dos anos, a amostra inicial foi ampliada para incluir os filhos dos participantes, chegando a 1300 pessoas.

Foto: Cristina Gottardi/Unsplash

A descoberta mais surpreendente da pesquisa é que nossos relacionamentos e quão felizes somos nesses relacionamentos tem uma influência poderosa em nossa saúde. Como afirma Robert Waldinger, responsável pela pesquisa, “Cuidar do corpo é importante, mas cuidar dos relacionamentos é uma forma de cuidar de si”.

Relacionamentos próximos são laços que protegem as pessoas das dificuldades da vida, ajudam a retardar o declínio mental e físico e são bons preditores de uma vida longa e feliz. Bons relacionamentos nos ajudam a viver melhor. Eles não protegem apenas nossos corpos; eles protegem nossos cérebros. Em qualquer época da vida. 

Somando anos de vida e de Felicidade

O envelhecimento é um processo contínuo. A partir do momento em que nascemos, nossas células já começam a envelhecer. No entanto, isso não significa necessariamente declínio. Significa que as pessoas devem começar a cuidar de si mesmas em todas as fases da vida. E um bom conselho é: “cuide do seu corpo como se fosse precisar dele por 100 anos, porque você pode”. 

Foto: sk/Unsplash

A longevidade não está associada a ser centenário ou a viver muitos anos, mas a envelhecer bem. Não se trata de viver mais, mas de viver melhor. Em geral, as pessoas não encaram a velhice como uma fase boa da vida, ainda que seja cheia de possibilidades e de alegrias. Ao contrário, muita gente tende a associar o processo de envelhecimento com doenças, sentimento de inutilidade, tristeza, solidão. 

É claro que, com o passar do tempo, alguns probleminhas que antes não existiam podem começar a surgir. E não parecem demonstrar que vão embora. Mas isso não quer dizer que não podemos envelhecer bem, com saúde e com a certeza de que a vida vale a pena. Mais ainda, que podemos encontrar Felicidade em todos os momentos da vida. 

Já discutimos aqui no blog, e com base em vários estudos, que pessoas felizes são mais produtivas e vivem não só mais tempo, mas com menos doenças e complicações típicas da terceira idade. Alguns estudos comprovaram a forte correlação entre Felicidade, saúde física e mental e longevidade, apontando que pessoas felizes têm uma probabilidade de ter uma vida 14% mais longa do que aquelas que se consideram infelizes. Ser feliz não vai nos fazer viver mais, mas provavelmente quem vive mais também é mais feliz.

Ser feliz a cada dia

Foto: Andrea Piacquadio/Pexels.com

Se as pesquisas apontam que pessoas felizes vivem mais, são mais produtivas e adoecem menos, então mãos à obra. Esses motivos são suficientes para nos inspirar a buscar realizar o que nos deixa felizes. Quanto mais cedo melhor, pois nunca é tarde para começar. Só precisamos querer e tomar a decisão de ser feliz.

Isso varia muito de pessoa para pessoa. Cada um tem a sua forma, cada um tem o seu jeito. Como já apontamos em artigos anteriores, há muitos caminhos e cada um precisa descobrir o seu. Mas em todos eles, o mais importante é a atitude positiva, pois na essência da Felicidade está a positividade. 

Como várias pesquisas mostram, a forma como encaramos e interpretamos os acontecimentos é decisiva para se sentir feliz. É muito importante levar a vida com bom humor, com leveza e com esperança. Procurar estar aberto às mudanças que a vida traz, cultivar boas amizades, bons relacionamentos, procurar estar sempre perto das pessoas que se ama. Coisas simples e positivas.

Acompanhe nossos conteúdos no blog e no Instagram.