3-D: Felicidade, uma escolha

Por Eliane Regis*

O 3-D é um espaço para todos que desejam fazer uma Pausa e compartilhar seu olhar sobre Felicidade.

Aqui serão publicados contos, crônicas, ensaios, resenhas, poemas e outros formatos de textos que apresentem relação com o tema Felicidade.

Foto: Noelle Otto/Pexels.com

Felicidade não é uma constante.

Constante é o nosso desejo de ser feliz.

O que a gente precisa aprender para ser feliz?

Pra começar, desconstruir a ideia que  temos de Felicidade.

A gente ouvia os contos de fadas, na infância, e imaginava que no “felizes para sempre” não havia discordâncias, discussões, que tudo era só paz e alegria.

Triste ilusão que a gente alimenta.

Porque até quando tá tudo bem, tudo bom e tudo perfeito, a gente se declara infeliz, e nem tudo o que é perene nos satisfaz.

…Porque a gente já se acostumou com os altos e baixos, as idas e vindas, os sins e os nãos que a vida nos dá.

… Ou porque a gente aceita menos do que merece, ou ainda por achar que não dá pra sermos felizes sozinhos… 

Que Felicidade depende do outro, depende de ter alguém, de ser amado por outro alguém…

Minha gente! Felicidade depende é da gente! Da decisão que a gente toma de ser feliz, de se amar como é, de ser quem a gente é!

Felicidade tá longe de custar caro, de custar os olhos da cara, de ser uma viagem pra Paris, de ter o carro do ano, de morar em mansões e castelos…

Felicidade não é ter, é ser!

É ser livre pra sonhar, pra sorrir, pra chorar, pra cair, pra levantar… 

E pra seguir!

Seguir em frente. 

Seguir buscando.

Aprendendo.

Errando.

Acertando.

Crescendo.

Vivendo.

Felicidade é uma escolha de vida.

Não está no futuro, no passado e nem tampouco no presente… 

Felicidade não tem tempo, mas tem todo o tempo do mundo.

Felicidade, minha gente, não se perde, não se esconde, não se acha… Felicidade, é a brincadeira do contente.

E ela mora é dentro da gente!

*Eliane Regis de Brito nasceu em João Pessoa (Paraíba), em 21 de janeiro de 1970. Tem na família uma de suas fontes de Felicidade. Mãe de dois filhos, Junior e Dudu, e avó de Isadora, considera o nascimento de sua neta um marco na sua vida. “Isadora me trouxe a força, a coragem e o poder que nunca antes havia sentido.” Ainda, considera a nora Lívia a filha que não teve.

O trabalho e a ajuda ao próximo também são fontes de Felicidade para Eliane, que é técnica em enfermagem e atua como cuidadora de idosos. “Amo o entardecer da vida e toda a rica experiência que essa fase nos traz.”

A espiritualidade é outra fonte de Felicidade para a estudante, trabalhadora e divulgadora da Doutrina Espírita. Considera-se uma espírita-espiritualista, pois acredita na frase de Carl Sagan: “Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que supõe a nossa vã filosofia.”

Também encontra na fotografia em P&B, na culinária, na música e na escrita, hábito que retomou durante a pandemia, fontes de Felicidade. Gosta de música dos anos 50 a 80, ama Piaf, Andy Williams, Sinatra, Andrea Bocelli. “A música está na minha alma.” E adora filmes clássicos e antigos. “Sinto que sou uma alma antiga.”

Inspirada nos girassóis, começou a escrever mensagens de otimismo, positividade e fé em seus grupos de WhatsApp e quando percebeu o bem que fazia às pessoas, resolveu expandir e criar uma página no Instagram: @lili_regis_5.0.

“Descobri, aos 50 anos, o quanto ainda posso sonhar, produzir e realizar, levando boas mensagens de esperança para o mundo. Trago aqui uma mensagem sobre FELICIDADE.”