As mães e a Felicidade  

“Deus não pode estar em todos os lugares, por isso ele criou as mães”
Rudyard Kipling

Foto: Pixabay/Pexels.com

Ah, as mães… Nosso sempre primeiro amor, nossa protetora para a qual não precisamos rezar para pedir ajuda, nossa representante da galeria de super-heróis que kryptonita nenhuma diminui os poderes. Um ser tão forte, tão positivo e tão feliz. É assim mesmo?

Historicamente a sociedade sugere que ser mãe é estar sempre feliz, realizada e alegre e se assim não for, de alguma forma não está à altura. A maternidade tende a ser idealizada e isso é especialmente verdadeiro no Dia das Mães. 

E aí está uma boa oportunidade para refletir sobre a Felicidade e alguns mitos da maternidade idílica.

Por isso, além de agradecer às mães em nossas vidas e celebrar a Felicidade da maternidade, é essencial compreender o que as faz verdadeiramente felizes? O que é Felicidade para uma mãe? Como se cultiva essa Felicidade? Como os filhos elevam os níveis dessa Felicidade? 

Neste artigo nós exploramos estas questões, analisando não só as alegrias, mas também os desafios da maternidade sob diferentes perspectivas. Então, feliz leitura. E para as mães, Feliz Dia das Mães! Todos os dias.

O Dia das Mães todos os dias

Pesquisas de opinião realizadas ano após ano, em diferentes países, apontam invariavelmente que o presente mais desejado pelas mães, no seu dia, é… passar o tempo juntos. 

Foto: Kenny Eliason/Unsplash

Essa opção supera outros presentes desejados, embora menos votados, como “uma pausa na rotina da mamãe” ou “uma experiência legal em um spa ou resort”, ou mesmo “uma boa noite de sono”. 

Presentes físicos em embrulhos sofisticados não estão entre os mais desejados pelas mães. É óbvio que é bom receber e apreciar presentes bonitos, mas experiências são intangivelmente belas e não ocupam espaço, nem requerem manutenção. 

E se uma estada em um resort ou em um spa não for possível, há tantas outras experiências simples, mas que podem ser inesquecíveis e felizes. Como um fim de semana de  jardinagem coletiva.

Imagine no Dia das Mães a família reunida no jardim ou no pátio de casa para arrancar ervas daninhas, varrer, plantar, arrumar. Todos trabalhando juntos, rindo juntos, fazendo uma pausa para o café ou para o chá juntos e deixando a casa mais bonita. 

E se não tiver jardim na sua casa, ao invés de usar o dinheiro que seria gasto em uma joia ou em um perfume para sua mãe, que tal contratar uma equipe de limpeza para organizar a casa e deixar tudo renovado e cheiroso? 

Presentes como esses permitem que as mães desfrutem de um tempo para si ou que aproveitem para curtir a família. Juntos. Essa palavra parece traduzir o paraíso para uma mãe. 

“Ser mãe é padecer no paraíso”

Eis uma frase conhecida popularmente, mas igualmente desconhecida, afinal é padecer ou é paraíso? Certamente, na sua intenção, é para ser um elogio à maternidade, uma condição de sentir-se no paraíso, mas, de uma forma paradoxal, em um estado de padecimento.  

Foto: Hillshire Farm/Unsplash

Além da imagem de um amor incondicional, de que ser mãe é a melhor coisa que uma mulher pode alcançar, também há as agruras, as dificuldades e as dúvidas que acompanham a maternidade. Muitas vezes, as mães são levadas a extremos com todas as necessidades emocionais, físicas e de desenvolvimento de seus filhos. 

Mães costumam se referir aos filhos como seu “orgulho e alegria”. Entretanto, ter filhos não necessariamente torna as pessoas mais felizes. Logo após o nascimento do bebê há um “choque de Felicidade” que as mães experimentam, mas que tende a se dissipar ao longo do primeiro ano. Esse efeito ocorre quando elas descobrem o trabalho e o envolvimento com um bebê “novinho em folha”.

Ainda assim, elas sentem que precisam viver de acordo com um certo padrão para parecerem fortes e dispostas o tempo todo, tornando isso uma batalha interna em que, muitas vezes, podem sentir de uma forma, mas devem agir de outra. 

Se estão no paraíso ou não, o certo é que as mães têm muito trabalho, sejam elas remuneradas por um empregador ou não. Ser mãe exige desafios e esforço físico, mental e emocional e, muitas vezes, sem nem sequer receber um tapinha nas costas ao final do dia pelo trabalho bem feito. 

Movidas por desafios 

Um dos desafios de ser mãe é justamente o tempo dedicado a sê-lo. A natureza 24/7 da maternidade contribui para um maior estresse das mães. Estudos descobriram que o esgotamento das mães é causado por constantes demandas e pressões. Sentimentos de cansaço, de distanciamento da família ou mesmo de fantasias de fuga caracterizam essa exaustão.

Foto: charlesdeluvio/Unsplash

Invariavelmente, além da vida profissional, muitas mães trabalham em um segundo ou até terceiro turno em casa à noite, em tarefas não tão prazerosas, como lavar roupas, limpar a casa ou preparar refeições. Por outro lado, em muitos casos, os pais tendem a ser mais recreativos, brincando com os filhos ou levando-os a um playground.

Ser mãe é um papel que vem com a pressão para ser perfeita. Afinal, ao longo da história, a cultura popular sugere que mães podem fazer tudo e perfeitamente. Entretanto, elas não têm superpoderes e tampouco são perfeitas, ainda que, especialmente nas mídias sociais, circulem algumas ideias de mães que estão sempre fazendo tudo muito bem. 

O certo é que ninguém é perfeito, nem tem que sê-lo, mesmo que postagens no Instagram possam fazer parecer que são. Essa referência de comparação é ilusória e tende a gerar mais pressão para uma maternidade perfeita. 

Para ser feliz uma mãe não precisa se comparar a outras mães, nem tampouco encarar o desafio da maternidade sozinha.

“Mãe só tem uma”, como diz o ditado, mas textos sobre mães tem mais de um! No próximo artigo falaremos sobre a importâncias das mães dedicarem um tempo para si mesmas e praticarem o autocuidado.

Até lá, acompanhe nossos conteúdos aqui no Blog, no Instagram, no YouTube e no Spotify.

%d blogueiros gostam disto: