Abraçar (muito) para ser (mais) feliz

“Milhões e milhões de anos ainda não me dariam
a metade do tempo para descrever aquele pequeno instante
de toda a eternidade quando você coloca
seus braços em volta de mim e eu coloco
meus braços em volta de você”
Jacques Prévert

Está cada vez mais comprovado: abraços nos fazem mais felizes! 

Se recebemos um abraço, ficamos felizes. Se damos um abraço também ficamos felizes. Se os abraços são muitos ou poucos, ficamos igualmente felizes.

Se estamos animados, abraçamos as pessoas. Se estamos tristes ou necessitando de algum conforto, abraçamos também. 

O certo é que abraçar é universalmente reconfortante e sempre nos faz sentir muito bem, pois seus benefícios vão além daquela sensação de conforto que sentimos quando alguém nos segura em seus braços. 

Neste artigo discutimos os benefícios poderosos de um simples abraço e explicamos como ele pode impactar seus níveis de Felicidade. 

Um abraço é tudo que queremos

Uma das coisas que mais nos afetou durante a pandemia foi não poder abraçar as pessoas que amamos. 

Com o distanciamento social ficamos um tempo sem abraçar amigos e familiares e percebemos a importância de um singelo abraço para nossa Felicidade e o quanto são benéficos para nossa saúde mental.

Foto: Eric Ward/Unsplash

Certamente não podemos transformar algo em ouro com um simples toque, como Midas o fazia. No entanto, temos o poder de produzir ricos sentimentos positivos com o simples toque mágico de um abraço.

Uma magia que todos nós possuímos.

Um abraço nos conecta mais ainda às pessoas que queremos bem e essa conexão positiva não é só para quem recebe o abraço, mas também para quem o dá. Por isso, um abraço só faz bem. 

E vale para qualquer abraço. Até mesmo abraçar seu pet gera benefícios para a saúde e para o bem-estar, aumentando os níveis de ocitocina tanto de seu animalzinho de estimação quanto de você.

Abraço faz bem à saúde

Os efeitos do abraço na redução do estresse nos fazem mais saudáveis. Física e mentalmente. Quando nos abraçamos, os níveis de cortisol, que é o hormônio do estresse, diminuem. 

Foto: Patty Brito/Unsplash

Estudos constataram que abraçar uma pessoa pode ajudar a reduzir o nível de estresse de quem recebe e de quem oferece o abraço.

Abraçar também é duplamente bom para o coração.

Uma pesquisa realizada na Universidade da Carolina do Norte buscou demonstrar o quanto um relacionamento afetuoso pode ser bom para a saúde desse órgão vital.

No estudo, os participantes que receberam mais abraços apresentaram níveis de pressão arterial e de frequência cardíaca significativamente menores que aqueles que ficaram em silêncio e não receberam abraços. 

O estímulo de um abraço induz uma cascata de sinais neuroquímicos, que têm benefícios comprovados para a saúde. 

Alguns desses sinais incluem a ocitocina, neurotransmissor que desempenha um papel importante no vínculo social, diminui a frequência cardíaca e reduz os níveis de estresse e de ansiedade. 

A ocitocina e a química do abraço

Quando duas pessoas se abraçam, a sensação na pele ativa receptores que enviam sinais para a área do cérebro responsável pela redução da pressão arterial. Pesquisadores sugerem que o abraço pode modular a ocitocina, o que pode melhorar a nossa saúde. 

Foto: C.Valdez/Unsplash

A ocitocina é um neurotransmissor também conhecido como “hormônio do abraço”. Isso porque seus níveis aumentam quando abraçamos alguém que amamos.

Dessa forma, nos sentimos mais felizes e menos estressados. É um poderoso coquetel químico de boas vibrações contido em um abraço.

Sem falar que um gostoso e reconfortante abraço também libera dopamina, a substância química do bem-estar, melhorando nosso humor e nos fazendo sentir mais motivados.

Abraços nos ajudam a se comunicar e a se conectar melhor com os outros

Foto: Nathan Anderson/Unsplash

Uma razão central pela qual os abraços são tão bons é que eles nos permitem comunicar com outras pessoas, gerando e reforçando conexões sociais. 

Um abraço pode, muitas vezes, significar mais do que palavras. Podemos demonstrar solidariedade e apoio com um abraço. Simpatia e tristeza compartilhada. Amor. 

Por isso um abraço é uma mensagem potente e um tipo de toque muito reconfortante e comunicativo. É uma experiência compartilhada que pode aproximar duas pessoas em momentos felizes ou tristes.

Foto: Erika Giraud/Unsplash

Esse papel do abraço na comunicação humana é discutido por alguns cientistas que apontam que, para resolver pequenos problemas, nem sempre é necessário ter uma longa conversa, mas basta apenas um abraço.  

Ou seja, abraços podem atenuar o estresse de um potencial conflito, mesmo antes de começar.

De quantos abraços precisamos?

Embora não se possa definir quantos abraços precisamos receber diariamente para nos sentirmos melhor, o certo é que muitos abraços ainda são melhores do que insuficientes. 

Mais certo ainda é que não podemos ficar privados do efeito positivo de um abraço. Mesmo correndo o risco de ser eventualmente mal interpretado, já que há pessoas que não estão acostumadas a dar ou receber abraços. 

Em algumas culturas sociais, as pessoas são cuidadosas com a distância pessoal e privam-se de simples abraços, já que convenções geralmente as levam a não tocar em quem não está diretamente relacionado a elas. 

Claro que nem todo mundo anseia por um abraço. OK para aqueles que não o fazem, ainda que estejam deixando de desfrutar desse poderoso mecanismo de Felicidade. 

 Mas se você quer se sentir melhor consigo mesmo, reduzir o estresse e ser mais feliz e saudável, dar e pedir mais abraços é um bom ponto de partida. 

 Afinal, doses diárias de abraço são uma excelente terapia. 

Então, um grande abraço da equipe do Pausa pra Felicidade a todos que estão lendo este artigo.

E continue acompanhando nossos materiais aqui no Blog, no Insta, no YouTube e no Spotify.

 

%d blogueiros gostam disto: